Apresentados mais candidatos da CDU às juntas: Eduardo Silva por Valongo e Manuel Santos por Campo e Sobrado

No passado dia 10 de Julho, a CDU Valongo apresentou os seus cabeças de lista às Freguesia de Valongo e União de Freguesias de Campo e Sobrado, Eduardo Silva (Serra) e Manuel Santos respetivamente.

Na sua intervenção, Eduardo Silva fez questão de referir querer retomar localmente a sua actividade como activista após longos anos ausente como emigrante na Suíça.

Na sua intervenção, o candidato chamou à atenção para algumas lacunas, tendo falado por exemplo do “mau estado da rua que liga o Suzão a Alfena por Cabeda, a Rua do Alto de Fernandes, a Rua André Gaspar no Suzão, ruas sem passeios e esburacadas, assim como a área da zona da Quinta da Lousa a merecer melhor atenção”. Este candidato falou ainda da falta de limpeza nas ruas, principalmente aos fins de semana. Referiu-se ao mau aspeto que o ribeiro da Presa oferece e que para além do perigo que representa naquela zona, aquele ribeiro “em vez de contribuir como uma mais valia para o ambiente de Valongo, pelo contrário, dá uma imagem de desleixo e abandono” e que da parte da CDU, irá ter como sempre a melhor das atenções, em defesa do papel que lhe deveria estar destinado.

Prometeu ainda que em caso de serem eleitos, os representantes da CDU lutarão pela abolição da taxa dos dez euros do cemitério, porque no seu entender, “a Junta de Freguesia de Valongo tem uma situação financeira que não justifica tal taxa”.

A terminar, o candidato quis deixar a mensagem de que ao aceitar ser candidato, era uma homenagem a alguns ativistas locais, assim como dar continuidade à sua luta, incluindo a de seu pai, Adão Serra.

Já quanto ao candidato a Campo e Sobrado, Manuel Santos, fez referência às posições da CDU durante o atual mandato, em defesa da prometida pista para a prática de pesca desportiva em Campo; por uma intervenção urgente para acabar com o perigo público que representa o muro do campo de Futebol de Balselhas e no aproveitamento daquele espaço desportivo; por melhor comodidade do público que assiste aos jogos no campo do S C de Campo; pela construção de passeios nas estradas nacionais 15 e 209 que atravessam Campo e Sobrado; entre diversas, por melhor piso nas ruas: Central da Retorta e S.ta Catarina, pela colocação de uma grade no Ribeiro a céu aberto na Rua da Corredoura, pelo fim das ruas em terra batida em Campo e Sobrado, por um estudo que resolva a situação da falta de transportes no acesso ao Centro de Saúde de Campo, principalmente para as pessoas mais idosas, pelo prolongamento dos STCP até ao Pinheiro Manso, pelo melhoramento da ligação entre a Rua Central da Ribeira e o cemitério de Luriz, pela pavimentação da ligação entre Campo e Sobrado pela Lomba.

Prometeu lutar por um Rio Ferreira sem poluição, por um espaço de lazer para os reformados em geral e em pelouro a criar pela Junta de Freguesia, provando assim que não se têm limitado a criticar a falta de resposta da Junta PS a estas lacunas, mas apresentando propostas de soluções.   

Por sua vez Guilhermino Silva, o primeiro sobradense membro da lista a Campo e Sobrado pela CDU, referiu-se ao papel desempenhado pela coligação na defesa de melhoramentos no parque de jogos de Fijós, na reivindicação de melhores condições para quem assiste aos jogos no campo de Sobrado, “assim como as obras prometidas, mas lá nunca vistas”. Falou da solução do problema das águas pluviais e pavimentação da rua de Penido e dos problemas criados pela Retria e Recivalongo no aterro de Sobrado. A defesa da extensão dos STCP a Sobrado foi outra necessidade referida.

O primeiro candidato da CDU à Câmara, Adriano Ribeiro, também usou da palavra para reforçar a necessidade de reforçar o apoio às coletividades de Valongo, Campo e Sobrado; Defendeu o cumprimento da promessa da construção de uma piscina que sirva Campo e Sobrado, a ligação Campo-Aguiar de Sousa pelas Póvoas.

Adriano Ribeiro denunciou “o perigo público que representa a situação das pedreiras abandonadas do Saramago no Outeiro em Campo” e falou da luta da separação das freguesias de Campo e Sobrado, que com o apoio da população e do PCP na Assembleia da Republica, pode acontecer em 2025, uma vez que, disse, “ PS e PSD se uniram para impedir que acontecesse já em 2021”.

Texto: JNR com AR e fotos Filipe Marques