PSD e BE criticam Câmara de Valongo no processo do aumento da água e saneamento

Capturefile: G:ÆäÀÌÁî¿ø¿øº»3water Cwater Cwater C-098.tif CaptureSN: CD000868.004802 Software: Capture One DB for Windows

Após o anúncio do presidente da Câmara de Valongo sobre a Câmara assumir o aumento do custo da água e saneamento, o PSD vem a publico dizer que “mais uma vez o Executivo Municipal reage a destempo às propostas do PSD e tenta iludir a população com decisões de última hora com o objetivo de camuflar as suas péssimas opções”.

Depois de se referir ao IMI, o PSD refere que “ agora foi a questão da tarifa da água, cuja proposta de aumento foi apresentada e aprovada pelo executivo na reunião de Câmara do passado dia 4 de fevereiro, proposta essa que mereceu o voto CONTRA dos Vereadores do PSD, pelas razões conhecidas: as famílias e as empresas vivem um período difícil, sendo por isso necessário que se reconheça a prioridade de, dentro do possível, aliviar os seus encargos e não o contrário.  A posição do PSD, veiculada nos órgãos de comunicação social e nas redes sociais teve forte impacto nas pessoas, traduzido pelas centenas de comentários publicados, na sua esmagadora maioria críticos à atuação do Executivo.  Pois bem, o Sr. Presidente da Câmara, passados dois dias, veio afirmar no JN que afinal a Câmara iria assumir o aumento do custo da água de forma a não prejudicar os munícipes”.

Na nota enviada ao JNR o PSD coloca algumas questões, entre elas “se havia intenção (e não havia) de o Executivo não prejudicar as famílias com mais um aumento no já elevado custo da fatura da água, apresentava proposta na reunião de Câmara nesse sentido e não como o fez; E não o fez, intencionalmente, porque efetivamente foi aprovado o aumento do custo da água para 2021, e será essa tarifa que servirá de base para a atualização de 2022, custo a dobrar, a ser suportado pelas famílias, logo que o município deixe de o assumir como diz que vai fazer em 2021;  Afirmando que o município vai assumir esse aumento, o Sr. Presidente admite agora o que nunca foi capaz de admitir, ou seja que afinal existem meios legais para atenuar a sobrecarga da tarifa que os munícipes suportam;  E o Presidente assume publicamente uma decisão que não teve ainda a devida e obrigatória deliberação de Câmara que a suporte”

Bloco de Esquerda também contra aumento da água

O Bloco de Esquerda de Valongo manifestou-se também contra o aumento do preço da água e saneamento no concelho valonguense.

Para o Bloco de Esquerda Valongo, o executivo municipal está a “meter água “ no negócio da água ao aumentar em 4% esse custo.

Diz o BE Valongo que “em tempo de crise pandémica, social e económica, a concessionária (BE Water – Águas de Valongo), não se coibiu de apresentar proposta de aumento deste bem essencial às populações, mas também aos comerciantes e pequenas empresas”.

O BE critica a posição da Câmara e do seu presidente que se “posiciona ao lado da concessionária, esquecendo a sua primeira missão que é proteger e zelar pelos interesses dos munícipes, alegando como justificação o previsto no clausulado do contrato de concessão… “

Perante as medidas anunciadas pela autarquia, o BE Valongo refere que “a medida não é  suficiente pelo facto de que após o mês de maio, a situação económica das famílias não melhorará substancialmente e porque este encargo assumido pela Camara Municipal mais não é que garantir o lucro da concessionária em detrimento de outros investimentos no município.O Bloco de Esquerda Valongo insta o executivo municipal a implementar a tarifa social da água automatizada, isentando as famílias do pagamento de tarifas fixas e aumentando a quantidade de água definida como primeiro escalão de consumo”.

Leia aqui as medidas da autarquia https://www.jornalnovoregional.pt/2021/02/camara-de-valongo-assume-como-apoio-social-atualizacao-do-preco-da-agua-e-saneamento-e-implementa-outras-medidas-de-apoio/