Valongo a caminho de “Amianto zero” nas escolas

Na sequência do trabalho que o Município de Valongo tem vindo a fazer no que se refere à retirada de amianto das escolas, começaram hoje as obras de substituição da cobertura em fibrocimento do Pavilhão Desportivo da Escola Preparatória de S. Lourenço, em Ermesinde, o último edifício com fibrocimento que era da responsabilidade do Ministério da Educação.

“Demos mais um passo para garantir que não há amianto em nenhuma das nossas escolas, desde os jardins de infância às secundárias. Neste ciclo governativo, substituímos todas as coberturas de fibrocimento das nossas escolas, tenham ou não amianto, inclusive naquelas que até há bem pouco tempo não eram da nossa responsabilidade direta. Só falta concluir esta obra na EB23 de São Lourenço, em Ermesinde, e começar a da EB Vallis Longus, em Valongo, que deve avançar dentro de três meses”, salienta José Manuel Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal de Valongo.

“Tomamos a dianteira logo em 2014, com a substituição da cobertura da Escola das Saibreiras, em Ermesinde, e ao longo dos últimos anos fomos investindo largos milhões de euros em obras de requalificação no nosso parque escolar, permitindo a retirada do fibrocimento nas escolas EB1 do Lombelho, de Cabeda e da Codiceira (em Alfena); da Retorta, de Balselhas e da Azenha (em Campo) e do Calvário, do Susão e da Boavista (em Valongo)”, refere o autarca, notando que todo este investimento nas escolas básicas do primeiro ciclo foi feito exclusivamente pelo município.

Com apoio de fundos comunitários e do Governo, foram realizadas as obras de renovação da Escola Secundária de Ermesinde que também tinha fibrocimento e serão realizadas as obras da EB23 Vallis Longus e da Secundária em Valongo. 

“Em menos de 8 anos vamos resolver problemas que se arrastaram por mais de 20 anos” lembrou o Presidente da Câmara Municipal de Valongo.

A obra na Escola de São Lourenço é a única no concelho com financiamento no âmbito do programa governamental de Remoção do Amianto nas Escolas.