Confraria do Pão, da Regueifa e do Biscoito realiza 4º Concurso de Sopa Seca

A poucos dias de acontecer mais um concurso da Sopa Seca, o Jornal Novo Regional falou com a Padeira mor, Rosa Maria Rocha sobrte este evento e sobre a Confraria do Pão, da Regueifa e do Biscoito de Valongo.

Refere a responsável que “a Confraria, constituída em 2015, tem como missão a preservação e divulgação dos valores gastronómicos ligados ao pão, regueifa e biscoitos de Valongo. Com esse objetivo, em boa hora, criamos a Concurso de Melhor Sopa Seca do Concelho de Valongo que vai já na 4.ª edição. As anteriores foram realmente um sucesso. No 1.º ano, tivemos 52 concorrentes, o que nos deu ânimo para continuar e para criar outras iniciativas com o mesmo objetivo de fazer renascer tradições ligadas ao pão. A sopa seca é uma iguaria que nos é muito cara e que estava a cair no esquecimento. Agora, todos falam da sopa seca, desde os menos jovens aos jovens … ficamos felizes quando, a partir da 2.º edição do concurso, passamos a ter concorrentes com 18/20 anos!
Já agora, se me permite, a 4.ª edição do Concurso vai ter lugar no próximo dia 1 de março, pelas 15h30m, no Auditório António Macedo, no centro de Valongo. Começamos com um momento lúdico – atuação do grupo “Os Pequenos Cantores de Valongo”. Enquanto decorre a atuação dos Pequenos Cantores, o júri, composto por 5 membros, procede à prova, seleção e seriação das 3 melhores sopas secas. Esta prova é uma prova cega, pois as sopas secas estão identificadas por um número, a que corresponde um envelope fechado também numerado que contém, no seu interior, a respetiva ficha de inscrição. Apuradas as 3 melhores sopas secas, abrem-se os envelopes com o mesmo número e, nesse momento, estão apurados/as os/as vencedores/as. Os concursos que fazemos têm associado um fim de solidariedade, sendo a instituição beneficiária a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Valongo, Associação que muito respeitamos e valorizamos pelo meritoso trabalho que desenvolve em prol das nossas gentes”.

Para além deste concurso, a Confraria também organiza o concurso da Melhor Rabanada.
Refere a Padeira mor que “também realizamos, em Ermesinde, o Concurso a Melhor Rabanada, que tem sido um sucesso. O envolvimento da junta de freguesia e da comunidade tem sido imenso.
Queremos lançar atividades noutras freguesias de Valongo. Já falamos com o Presidente de Junta de Campo/Sobrado que aceitou muito bem a ideia. Falta o passo seguinte – a concretização – que queremos seja este ano. Já agora um esclarecimento sobre o objetivo de termos uma atividade por freguesia – a nossa Confraria é de Valongo – Confraria do Pão, da Regueifa e do Biscoito de Valongo – VALONGO município, queremos ter confrades de todo o concelho, queremos que todos nos vejam como uma associação sua, melhor, da sua terra. Defendemos a união de esforços pelos valores e bens comuns, que, neste caso, é a defesa dos valores ligados ao pão e biscoitos”.
Em junho, dia 7, decorre mais um capítulo. Salienta Rosa Maria Rocha que “já somos mais de 160 confrades e ainda não sabemos ao certo quantos novos confrades vamos ter. Já fomos contactados por 5 pessoas e já agora apelo a que quem queira ser confrade nos contacte através do email geral@confrariadevalongo.com”.

Sobre os projetos para os próximos tempos a dirigente diz que “se os nossos confrades tivessem mais disponibilidade, nem imagina o que faríamos … temos tantas ideias! Mas vamos fazendo o que nos é possível, o que interessa é que façamos bem e que sejamos conhecidos por esse Portugal fora e mesmo além fronteiras, como é já o caso! Além das duas atividades referidas, temos uma outra que nos dá muita satisfação – os pequenos almoços à moda antiga com estudantes do 4.º ano. Vamos às escolas que aderiram, levamos um padeiro nosso confrade e fazemos um workshop sobre o pão, desde o pegar na farinha à cozedura. O padeiro faz a massa … os miúdos também amassam, é-lhes explicado o valor gastronómico do pão … o pão vai a cozer … entretanto da padaria do “professor” vem “moletes” para todos. Nessa altura, tomam o pequeno almoço – pão quentinho com manteiga ou doce, cevada (muito usada antigamente nos pequenos almoços de Valongo) com ou sem leite – eles deliram porque julgam que estão a beber café – e chá. O feedback que temos das escolas é excecional – as crianças chegam a casa e todas animadas contam aos pais.
Outras atividades – vamos a Escolas de Hotelaria e a Escolas Superiores fazer workshops de sopa seca, participamos nos eventos para que somos convidados pelo Município – no ano passado começamos a participar no Couce em Festa, foi um sucesso, não havia mãos a medir a fazer e vender sopa seca! Vamos também participar na BTL, na FIL, em Lisboa, no dia 14 de março e aí, se possível, faremos também a nossa sopa seca, para que os visitantes que acompanharam o Concurso As Sete Maravilhas Doces de Portugal provem a nossa iguaria que chegou quase à final; vamos participar nos campos de férias organizados pelo Município na Páscoa de 2020 com a atividade Valorizar e Preservar as Padarias e Biscoitarias de Valongo – replicando a atividade que fazemos com os estudantes do 4.º ano. Participamos, também, nos eventos da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, nomeadamente no dia Nacional das Confrarias Gastronómicas. Vamos aos capítulos de outras confrarias, por isso, somos visitados por muitas.

Enfim, somos uma Confraria que não perde uma oportunidade de dar a conhecer Valongo e os seus valores gastronómicos. Ainda no sábado, 22 de fevereiro, estivemos no Mercado Provisório do Bolhão a fazer um Workshop de Sopa Seca, com degustação no final”.