Miguel Cardoso, também é candidato à concelhia do PS

Dia 1 de fevereiro, as estruturas locais do Partido Socialista vão eleger os seus líderes. Para a concelhia de Valongo concorrem listas encabeçadas pelo atual lider e presidente da Junta de Valongo, Ivo Neves, e por Miguel Cardoso, atual diretor do CRSS do Porto. Pedimos aos dois um texto para explicar as razões da candidatura.

No que diz respeito a Miguel Cardoso, afirma que “Ação Política, Reforço do Sucesso Autárquico e Militância, são três vetores chave da candidatura que lidera.

O projeto político alicerçado nesta Moção, consubstancia-se num projeto agregador e de desenvolvimento da comunicação no Partido Socialista de Valongo, potenciando a participação e envolvimento de todos os socialistas de Valongo.

Um Projeto de todos e para todos, utilizando a participação de quadros partidários experientes nas mais diversas áreas. Da Administração Pública ao setor Privado, das Autarquias às IPSS, é um Projeto coletivo e multidisciplinar que visa colocar o Partido Socialista num rumo capaz de continuar a sendo do sucesso que temos, em conjunto, vindo a construir.

A tradição de trabalho setorial dentro do Partido deve ser acarinhada e recentrada na atividade política concelhia.

A constituição de grupos de trabalho multi setoriais deve ser promovida, aproveitando a enorme riqueza que o Partido Socialista apresenta nos seus quadros.

Áreas chave para a estratégia autárquica como a Gestão, a Solidariedade, a Saúde, a Habitação, o Turismo, Infraestruturas, Atração Empresarial, Transportes, Energia, etc, devem constituir-se como motes para a criação destes grupos de trabalho, por forma a proporcionar a criação de um projeto político e programa político mais capacitado para oferecer aos nossos cidadãos uma visão estratégica para os próximos 12 anos, com início já no próximo ano com o programa eleitoral a apresentar nas próximas eleições autárquicas, facilitando e contribuindo para a ação política dos nossos camaradas no Executivo da Câmara.

Sem prejuízo da estratégia metropolitana, a própria autarquia pode gizar estratégias de transporte que ajudem os cidadãos e se constitua igualmente como um foco de atração adicional para a fixação de pessoas no nosso território, enriquecendo o Concelho, em massa crítica, em empreendedorismo e todas as demais dimensões que um território atrativo e aberto permite.

Outra das áreas que deve suscitar uma reflexão profunda por parte do Partido em Valongo prende-se com a necessidade de aprofundar a relevância atribuída às pessoas com deficiência e respostas necessárias nesta área.

Na Saúde, impõe-se continuar a luta pela concretização plena da nova Unidade de Saúde de Alfena e instalação de USF, assim como a instalação de uma USF no novo Centro de Saúde de Campo, para a partir dessa concretização se passar a um novo patamar de oferta de serviços de saúde, com outras vertentes e horários de atendimento que permitam respostas concelhias a problemas súbitos e que não requeiram a intervenção de hospitais de referência do Distrito.

Temos igualmente de promover de forma mais musculada uma inter-venção política, com a colaboração dos movimentos cívicos já existentes, no que concerne ao constrangimento existente em Sobrado para a qualidade de vida dos nossos concidadãos. Esse constrangimento chama-se RETRIA e deverá merecer da parte da Concelhia do Partido Socialista, em articulação com a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia, uma aten-ção mais ativa, para conseguirmos concluir uma solução que sirva o interesse público de Sobrado e Valongo.

O Partido Socialista tem no seu ADN o respeito pela liberdade e não pode em momento algum aceitar comportamentos desviantes no que concerne a este respeito. A diferença de opiniões, a pluralidade democrática e a convivência com a diferença, são nucleares no Partido Socialista e assim deve ser preservada esta herança que tanto custou a conquistar.

Há que criar condições para que todos se sintam úteis à atividade e contributo político, dos mais jovens aos mais experientes, contando com todos para o grande desígnio coletivo de promoção de uma evolução social sustentada e alicerçada em condições de vida melhores, mais dignas e com um constante desenvolvimento na qualidade de vida da nossa comunidade como um todo.

A militância deve ainda ser valorizada e acarinhada, devendo para isto os órgãos do Partido assumirem um papel fundamental no acolhimento dos militantes. Este acolhimento servirá não só para as boas vindas ao partido, mas igualmente para promover uma cultura de agregação entre os militantes e uma saudável comunicação entre órgãos e militantes, facilitando uma identidade coletiva e próxima entre todos os socialistas do Concelho.

O Partido Socialista de Valongo, deverá ainda ser capaz de promover, uma vez por ano, um encontro alargado entre todos os socialistas do Concelho, facilitando a possibilidade de prestação de contas entre eleitores e eleitos, avaliação do trabalho político e preparação do novo ano.

É para este processo que se convocam todos os socialistas de Valongo, a partir de dia 01/02, com o seu voto, integrar este ambicioso e necessário projeto.”

Para as secções os candidatos são: Alfena: Luis Miguel Caetano; Campo: Alfredo Sousa e José Manuel Carvalho; Ermesinde: André Ferreira; Sobrado: António César e Tiago Sabença e Valongo: Cláudia Lima.