Dérbis concelhios na Elite da AF Porto. JNR transmite. Declarações dos presidentes do Alfenense, Ermesinde e Sobrado.

O campeonato da Divisão de Elite da AF Porto começa já no dia 5 de setembro.
E quis a sorte que as três equipas do cpncelho de Valongo, que participam neste campeonato calhassem na mesma série, neste caso a série 3.
Também por capricho da sorte, nas três primeiras jornadas há três dérbis concelhios, que serão transmitidos através da página do facebook do Jornal Novo Regional em (www.facebook.com/jornalnovo2).
Assim sendo, no dia 5 de setembro jogam Alfenense-Sobrado (em Alfena), no dia 12 de setembro em Sobrado há dérbi com o Sobrado-Ermesinde e no dia 19 em Ermesinde, defrontam-se Ermesinde e Alfenense.
Na segunda volta os jogos serão a 7 de novembro, Sobrado-Alfenense, a 14 de novembro Ermesinde-Sobrado e no dia 21 Alfenense-Ermesinde.

VEJA OS DÉRBIS NO FACEBOOK DO SEU JORNAL

Veja então os dérbies concelhios em www.facebook.com/jornalnovo2

E se é empresário e deseja associar a sua empresa a estes dérbies garantindo a promoção para milhares de pessoas, contacte: pub@jornalnovoregional.pt ou 932041387

jogos:
5 de setembro – Alfenense – Sobrado
12 de setembro – Sobrado – Ermesinde
19 de setembro – Ermesinde – Alfenense
7 de novembro – Sobrado – Alfenense
14 de novembro – Ermesinde – Sobrado
21 de novembro – Alfenense – Ermesinde

O Jornal Novo Regional quis ouvir os presidentes dos três clubes sobre as perspetivas para a época, a situação dos escalões d formação, as principais dificuldades, o capricho da sorte em ter juntado três equipas concelhias e a importância de haver público nas bancadas.
Em baixo ficam as palavras de Valentim Ribeiro, presidente do Alfenense, Rui Almeida, presidente do Ermesinde e Jorge Pinto, presidente do Sobrado.

Valentim Ribeiro – Presidente do AC Alfenense

Sobre as perspetivas para esta época Valentim Ribeiro afirma que “Somos recém chegados à divisão de Elite, a divisão cimeira da maior Associação de Futebol do país, estamos onde queríamos estar e esta época queremos disfrutar disso, ganhar experiência e aprender com as outras equipas. Vamos sobretudo jogar jogo a jogo e se as oportunidades surgirem, certamente vamos aproveitar, somos um clube ambicioso e não temos medo do sucesso”.
Quanto à formação: “A formação passou uma época má, como todos os outros clubes, por não lhe ter sido permitido competir, mas estamos bem e como muita vontade de voltar a competir”.
No que concerne às dificuldade o dirigente afirma que “Neste momento, a maior dificuldade tem sido angariar apoios, devido à situação económica das empresas resultante da pandemia, mas apelamos à comunidade e às empresas que nos apoiem, aos simpatizantes do Alfenense que se façam sócios, pelo que o clube tem feito no apoio à formação dos jovens e no modo como tem representado com dignidade a cidade de Alfena e o concelho de Valongo.
Com a desejada subida de divisão os encargos são maiores, mas certamente não será isso que nos vai impedir de fazer o que quer que seja, cabe-nos encontrar soluções para ultrapassar as dificuldades, não faz parte do modo de vida do Alfenense ficar parado a lamentar as dificuldades, vamos à luta e tudo vamos resolver.”
Sobre haver três equipas do concelho na mesma série e divisão, o dirigente diz que “Ficamos contentes, especialmente por ficarmos todos na mesma serie, vamos ter já nas primeiras três jornadas todos os dérbis concelhios. os dérbis trazem sempre mais emoção ao jogo e esperamos que sejam bons jogos, no campo somos rivais, terminando o jogo somos vizinhos e partilhamos as mesmas dificuldades.
Desejamos uma boa época ao CD Sobrado e o Ermesinde Sport Clube, são equipas com mais recursos e experiência nesta divisão, mas contem com o Alfenense para também representar com dignidade o concelho de Valongo”.
Acerca da presença de público “Obviamente vai ser muito bom, já na época passada tivemos público nos jogos da meia final e na final da Divisão de Honra, foi espetacular, seguramente parte significativa do título que conquistamos cabe ao imenso apoio que tivemos na bancada.
Ainda não tivemos público na nossa casa, vamos ter no jogo da primeira jornada no dia 05 de Setembro, contra o CD Sobrado e gostaria de deixar o apelo para os sócios e simpatizantes do Alfenense para comparecerem e apoiarem a nossa equipa neste jogo e ao longo da época.

Rui Almeida – Presidente do Ermesinde 1936

Sobre as perespectivas para esta época, Rui Aleneida diz que “O Ermesinde Sport Clube 1936 aborda a nova época desportiva com um sentimento de confiança mas ao mesmo tempo com elevadas incertezas face ao atual estado pandémico.
Assim, e nomeadamente no que diz respeito à equipa sénior, conseguimos elaborar um plantel com muita qualidade e que nos permite encarar qualquer adversário com o objectivo de ganhar os 3 pontos. Mas ao mesmo tempo estamos algo apreensivos relativamente à evolução do estado pandémico, pois não sabemos se, finalmente, teremos uma época normal (ou pelo menos perto do normal), uma vez que temos a experiência das duas últimas épocas e de todas as limitações e alterações que a pandemia causou ao desporto nacional”.
Sobre a situação da formação do clube, diz o dirigente que “A formação vive momentos de transformação e evolução, o que tem permitido um grande desenvolvimento dos nossos escalões de formação. Perspectivamos um aumento do número de atletas e de equipas nos campeonatos de formação, sendo que nesta nova época teremos três equipas a disputar a 1a divisão distrital da AF Porto (Sub19, Sub17 e Sub15), e estamos a desenvolver o futebol feminino”.
Quanto às principais dificuldades, Rui Almeida salienta que “A principal dificuldade acaba por ser a incerteza relativamente ao futuro fruto da pandemia que vivemos. É muito difícil fazer um planeamento a médio prazo pois nunca sabemos como vai ser o dia de amanhã. Ao mesmo tempo também acabamos por ter expectativas redobradas pois acreditamos que com o voltar da normalidade o crescimento do clube poderá ser cimentado”.
Sobre haver três equipas concelhias a disputar a mesma prova a opinião do presidente do Ermesinde é: “A existência de três equipas do concelho no mesmo campeonato acaba por ser benéfico para todos pois são jogos que transbordam paixão e rivalidade e acabam por ser seguidos com muito interesse pelos adeptos. Acaba por existir um mini campeonato dentro do campeonato”.
E sobre o facto de haver público em campo será benéfico Rui Almeida diz que “Para o nosso clube é muito benéfico, pois é conhecida a paixão e fidelidade da nossa grande massa adepta que nos acompanha em todos os jogos e que são sem sombra de dúvida o nosso 12º Jogador. Com eles nos estádios tudo acaba por ser mais fácil”.

Jorge Pinto – Presidente do CD Sobrado

Questionado acerca das perspetivas do Sobrado para esta época que começa dia 5, o presidente do CD Sobrado, Jorge Pinto, afirmou ao JNR que “queremos conseguir os melhores objetivos, preparar a subida de divisão em 3 épocas, mas se aportunidade surgie antes não a vamos descurar. Melhorar a formação e em alguns escalões da formação subir de divisão”.
O dirigente referiu ao nosso jornal que “Andávamos há um ano e meio a tentar construir os balneários e a bancada coberta, mas a resposta da Câmara tem sido de adiamento. Estamos a ser prejudicados, porque enquanto que em outros espaços a Câmara investe, aqui não. A Câmara já deveria ter começado a obra, houve promessas, houve pedidos de documentação, projetos, orçamento e tudo lhe foi dado. Estamos a utilizar os balneários das escolas, que foram alternativa aos balneários que iram ser deitados abaixo, mas que ainda não foram.
Em relação aos escalões de formação, Jorge Pinto diz que o clube tem todos “eventualmente vamos ter mais que uma equipa nalguns escalões. Temos treinadores e vontade, mas faltam condições, os atletas têm que ir equipados de casa e depois vão tomar banho a casa. Se houvesse mais condições havia também mais miúdos interessados. Há miúdos que vão para clubes com melhores condições. Para aumentar a oferta sugerimos ocupar um espaço da escola junto aos balneários e assegurávamos 50% do investimento, mas segundo a Câmara a diretora na Escola não aceitou, não foi possível. Este ano temos equipa B, o que ocupa ainda mais o espaço. Também queríamos futebol feminino, mas não há condições.
Também poderíamos e gostariamos de ter acordo com alguma academia, (inclusive uma de S. Tomé e Príncipe mostrou interesse), mas a falta de condições impede”.
Sobre haver três clubes do concelho na mesma série, Jorge Pinto diz que é bom “para motivar os atletas e para melhorar a receita tão necessária nesta altura. Se não fossem alguns patrocinadores carolas, não conseguiamos ir para a frente. O Sobrado tem expetativas atletas, mas os apoios da Câmara são mínimos. Há cerca de um mês foi encontrada legionella nos balneários, se a ligação da água fosse direta da rede não acontecia. Já foram feitos testes, mas falta resposta para ver.
O facto de haver público nos campos, refere o dirigente “vai ser importante porque a receita é necessária para a nossa sobrevivência. Mesmo sem público as despesas mantiveram-se e temos de as pagar”.