Inaugurado em Valongo monumento que homenageia antigos combatentes

MINISTRO DA DEFESA, JOÃO GOMES CRAVINHO, PRESIDIU À CERIMÓNIA
INICIATIVA FOI DA JUNTA DE VALONGO E TEVE APOIO DA CÂMARA

O monumento de homenagem aos antigos combatentes de Valongo foi inaugurado este sábado, 15 de maio, na Rotunda 1º de maio, frente à Repartição de Finanças de Valongo.

A iniciativa foi da Junta de Freguesia de Valongo e contou com apoio da Câmara Municipal de Valongo, tendo contado com a presença do ministro de Defesa João Gomes Cravinho, da secretária de Estado dos Recursos Humanos e Antigos Combatentes, Catarina Sarmento e Castro. Estiveram ainda presentes como anfitriões o presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro e o presidente da Junta de Valongo Ivo Vale Neves. No evento estiveram ainda vários responsáveis das Forças Armadas, da Liga dos Combatente e antigos combatentes de Valongo.

Homenagear os militares que combateram no Ultramar, sobretudo aqueles que perderam a vida e eram naturais do concelho Valongo é o objetivo do novo monumento em formato triangular da autoria do arquiteto Carlos Fazenda, e estão gravados os nomes dos 26 militares naturais do concelho de Valongo que perderam a vida na guerra colonial.

Na oportunidade foram colocadas no monumento coroas de flores em memória dos combatentes falecidos.

Na hora do uso da palavra, o presidente da Junta de Freguesia, Ivo Neves, afirmou que desde o início das suas funções um dos desejos era o de erguer um monumento aos antigos combatentes e agora fica concretizada a intenção. Ivo Neves afirmou que o seu executivo vai aprovar uma medida que isenta os antigos combatentes em 50% nas taxas a cargo da Junta de Freguesia. O autarca da freguesia de Valongo falou ainda do papel dos militares no 25 de Abril.

Já o presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, elogiou a iniciativa da Junta de Freguesia. O presidente da Câmara de Valongo falou no papel importante das mulheres na vida dos combatentes, as mães, filhas, irmãs, esposas ou namoradas. José Manuel Ribeiro citou o Presidente da República, dizendo que “nenhum país do mundo está bem consigo se não estiver bem com a sua história”.
O autarca valonguense lembrou o nascimento do concelho, após a reforma de Passos Manuel, falou também da participação do concelho nas invasões francesas e sobre o monumento afirmou que “só estamos bem connosco quando sabemos homenagear e não apagamos a memória, mesmo quando a memória é incomoda”.

Ao discursar, o ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, afirmou que os antigos combatentes são homens que arriscaram a sua vida obrigados, já que não tiveram hipótese de escolher. “Devemos honrar os antigos combatentes e aqueles que caíram em combate e eu faço questão de estar em todos os eventos do género afirmou João Gomes Cravinho acrescentando que há mais de 400 monumentos semelhantes em todo o país. A propósito diga-se que em Ermesinde há também um monumento aos antigos combatentes.
Uma das reivindicações dos antigos combatentes tem a ver com a entrada em vigor do cartão de Antigo Combatente “estão a ser produzidos pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda e alguns já foram distribuídos. Será apenas uma questão do tempo que leva para a produção do cartão e o posterior encaminhamento para os seus titulares”, garantiu o governante.

O Governo calcula que são mais de 300 mil pessoas, ex-combatentes e seus viúvos, que podem beneficiar da isenção de taxas moderadoras no Serviço Nacional de Saúde, de direito de preferência na habitação social e entradas em museus e, futuramente, passes intermodais de transporte gratuitos.

O ministro João Gomes Cravinho afirmou também que “o estatuto do Antigo Combatente deve ser aprofundado e melhorado” e prometeu ainda mais benefícios para os antigos combatentes.

Antigos combatentes, do concelho de Valongo, mortos em combate
Antigos combatentes
Guarda de honra prestada ao ministro da Defesa
A chuva obrigou a improvisar