Câmara de Valongo exige imediata proibição de Amianto no Aterro de Sobrado

O presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, solicitou hoje ao Ministro do Ambiente que “ordene a imediata proibição de receção de Amianto no Aterro da Recivalongo em Sobrado, tendo em consideração o histórico de receção ilegal de Amianto, tanto mais que, se o senhor Ministro não o fizer, irá legitimar a continuidade da deposição de Amianto num aterro que, nos próximos tempos estará na eminência de ser encerrado por decisão  dos tribunais”.

“O Aterro da Recivalongo foi mal licenciado, quer em termos urbanísticos, quer em matéria ambiental pelas autoridades competentes. Além das evidências claras de grave violação do PDM de Valongo e, por conseguinte, de crime urbanístico/ambiental, que serão alvo de escrutínio pelos tribunais, impõe-se ao Estado através do Ministério do Ambiente, por várias razões, mas sobretudo por defesa do Ambiente e da Saúde Pública, impedir a continuidade desta operação”, considera o autarca, no ofício hoje enviado ao Ministério do Ambiente, no qual José Manuel Ribeiro manifesta também “a esperança de que, de uma vez por todas, sejam retiradas à Recivalongo as licenças que lhe permitem operar um aterro que tanto tem prejudicado a imagem do país na área do Ambiente”.

foto: Imagem Arquivo JNR