Abaixo-assinado pela segurança

Um grupo de moradores (cerca de duas centenas) que utilizam a Rua Visconde Oliveira do Paço, em Valongo, assinaram um documento, onde reclamam atenção da Câmara de Valongo para a zona defronte da Escola Secundária, onde o mato existente é imenso e leva a receios fundados.´Recorde-se que foi neste local que ocorreu recentemente uma violação.
Para além da limpeza do mato, os moradores pretendem que haja mais iluminação.
Este é o teor do documento:
“Os abaixo-assinados, moradores e utilizadores frequentes da Rua Visconde Oliveira do Paço, vêm, na sequência do último e grave acontecimento, que é do conhecimento público, e do qual foi dado conhecimento às competentes autoridades, apelar a Vª Exª no sentido de serem tomadas medidas urgentes para que os terrenos que ladeiam a referida rua, situada no centro de Valongo, e de passagem obrigatória para moradores, estudantes e professores da Escola Secundária de Valongo sejam limpos com a máxima urgência.
Quem faz desta rua passagem diária, nomeadamente após o final das aulas, momento em que a rua fica quase deserta, fá-lo com receio, e receio fundado, uma vez que os terrenos estão cheios de mato, sendo usados para fins menos próprios, em pleno centro da cidade e entre duas escolas.
A acrescer a este facto, verifica-se que no período noturno, as árvores do lado da escola, não deixam passar a escassa luz dos candeeiros, obrigando os utilizadores da rua a circularem pelo meio da estrada ou pelo lado dos terrenos cobertos de mato.
Face ao supra exposto, os abaixo-assinados aguardam a resolução da situação em apreço, com a maior brevidade possível, apelando quer à limpeza, quer à vedação dos terrenos, e requerendo ainda que a dita rua, de acesso ao centro da cidade, seja objeto de maior vigilância, de forma a poder ser utilizada de forma segura, por quem ali passa diariamente, principalmente a pé”.