Diogo Oliveira é candidato do PSD em Campo e Sobrado

Diogo Pastor Oliveira, empresário de profissão, nasceu em Balselhas – Campo, freguesia natal da sua família materna, há 33 anos. Casado e pai de uma filha, apresenta, oficialmente, a sua candidatura à presidência da Junta de Freguesia de Campo e Sobrado.

Diogo estudou na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) onde se formou em Ciências do Ambiente (Licenciatura e Mestrado), e, refere a nota enviada ao JNR “sendo um eterno aprendiz, tem também mestrado em Engenharia de Segurança e Higiene Ocupacionais na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP)”.

Atualmente desempenha funções de auditor na AENOR Internacional, tendo sido, também, professor convidado da CESPU.

Apaixonado pelo desporto, foi jogador no C. D. Sobrado e no F. C. Balselhense, durante dez anos e árbitro de Futebol-11 (AFP), durante oito anos.

Desde cedo mostrou grande interesse em fazer a diferença e lutar por um mundo melhor, aderiu ao Partido Social Democrata em 2013 e trabalhou sempre no associativismo da coletividade, “em causas justas, com a participação na organização de eventos solidários através do grupo KEMEDO de Balselhas, estando também, ao lado da população de Sobrado, desde o primeiro instante, na luta contra o aterro”.

Diz a nota de imprensa que “a sua maior inspiração política é o social democrata, Sá Carneiro, defendendo, assim, que em democracia a transparência deve ser regra e que os políticos devem encarar a política como serviço ao seu país, trabalhando para a melhoria das condições concretas de quem lhes confiou o seu voto. Este é o seu sentir, porque de outra forma não há política que valha a pena ou que o mova!”

Em Campo e Sobrado, terra onde nasceu, “cresceu e se fez homem de convicções e de luta, quer ser o catalisador da mudança, no momento difícil e desafiante que o país atravessa”. Nesse sentido, diz que “há muito para fazer e por isso, assume o compromisso com plena consciência que em tempos como os que se vivem, o trabalho dos políticos tem de ser ainda mais exigente e dedicado a melhorar as condições de vida dos habitantes”.

Na comunicação que o JNR recebeu é dito que “é seu propósito, colocar na ordem do dia, temáticas que envolvam o setor social, ambiental, económico e da mobilidade urbana, resgatando de forma participativa e criativa, o sentido de união e de pertença, a um território que se quer cada vez mais próspero!”