Festival de Literatura Infantojuvenil de Valongo vai celebrar a lusofonia, a liberdade e Matilde Rosa Araújo

Onomatopeia está de regresso entre 8 e 12 de maio. Conheça todos os detalhes do programa.

Quatro dias, mais de 120 horas de programação, muita liberdade e mais de 40 convidados, entre autores, ilustradores, músicos, artesãos, pedagogos e performers, integrando, pela primeira vez um programa de formação acreditada para docentes, um público essencial para o sucesso já alcançado até hoje e ao qual o futuro do Onomatopeia quer estar indissociavelmente ligado.

Esta será a sexta edição do Festival e a segunda edição do Prémio Ibérico de Literatura Infantojuvenil Álvaro Magalhães, cujo vencedor será revelado a 10 de maio.

“Incentivar a formação de leitores críticos, seres pensantes que se tornam pessoas especiais(…) cidadãos mais responsáveis, solidários e envolvidos na comunidade” é, de acordo com José Manuel Ribeiro, presidente da Câmara e Valongo, um dos principais objetivos desta aposta do município na literatura e num festival como o Onomatopeia que, desde há 6 anos, se orgulha de continuar a juntar leitores crescidos a cada vez mais leitores a crescer.

É com este ponto de partida que a edição deste ano aposta numa programação diversificada, partilhada por todos e com todos, a partir do tema da Liberdade, contextualizado pelos 50 anos do 25 de abril e pela obra de um dos grandes e incontornáveis nomes da literatura infantojuvenil que, em pleno Estado Novo, rompeu com os estereótipos da literatura infantil. Falamos de Matilde Rosa Araújo, para quem «a criança é, na sua essência, revolucionária», e que nas suas histórias sempre falou, sem pudores, de pobreza, tristeza, lágrimas, mas também de risos, felicidade, esperança e de sonhos, da morte e da vida, do amor e da amizade, da infância e da velhice.

Com os dois primeiros dias especialmente dedicados às escolas e o fim de semana a leitores de todas as idades, o Onomatopeia volta a ter como um dos seus pontos altos as batalhas de palavras que, mais uma vez, serão travadas por bravos autores que aceitaram este desafio de criar narrativas em direto e sem rede, numa generosa e única partilha de um processo criativo partilhado e que só os leitores presentes terão o privilégio de assistir. As “Batalhas entre Autores” acontecerão no sábado à noite, colocando frente a frente: Lúcia Vicente e Renato Filipe Cardoso, Adélia Carvalho e Rita Dias, Katia Casimiro e João Fernando André, Raquel Patriarca e António Mota, Valter Hugo Mãe e Marta Bernardes. A moderação estará novamente a cargo de Tito Couto. Depois das batalhas a música de Dela Marny encerrará o penúltimo dia do festival em festa… como se querem todos os festivais.

Programa Onomatopeia – de 8 a 12 de maio em Ermesinde e Valongo

Dar vivas à liberdade… para manter a liberdade viva!

Serão muitas e variadas as liberdades celebradas e incentivadas este ano pelo Onomatopeia, todas unidas por essa riqueza maior que é hoje o diálogo cultural estabelecido entre o profundo respeito pelas raízes de cada um e pelo lugar de encontro e união proporcionados pela universalidade dos valores e da língua partilhada.

E é com este espírito que este ano será também o ano da internacionalização do festival com presença especial de diversos convidados oriundos de países de língua portuguesa (Brasil, Angola, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Brasil), numa celebração da lusofonia propositadamente coincidente com o 50.º aniversário do dia em que Portugal ganhou o direito à liberdade democrática e os povos da África lusófona ganharam o direito à liberdade enquanto nações.

2.ª edição do Prémio Ibérico de Literatura Infantojuvenil Álvaro Magalhães

A 10 de maio serão conhecidos os autores distinguidos este ano pelo Prémio instituído pelo município de Valongo no âmbito do Onomatopeia em homenagem a Álvaro Magalhães pelo seu contributo para a valorização e promoção da literatura infantojuvenil de qualidade. Álvaro Magalhães, que integra o júri juntamente com Adélia Carvalho e Raquel Patriarca, marcará novamente presença no momento da revelação dos escritores que se sucedem a Afonso Cruz (1.º prémio) e Capicua (menção honrosa), distinguidos em 2023, ano da primeira edição deste prémio.

Onomatopeia entra no “Reino Encantado da Pedagogia”, integrando uma ação formação acreditada para professores na programação

Outras das novidades deste ano é a integração de uma formação acreditada para professores no programa, formação essa que contará desde logo com a participação de José Pacheco, professor, designer educacional e autor, fundador da “Escola da Ponte” em Portugal e do “Projeto Âncora no Brasil” e que, juntamente com a Psicopedagoga Ludmila Duarte, e no âmbito do périplo “Abril da Educação”, apresentarão as Novas Construções Sociais de Aprendizagem em Portugal, no dia 8 de maio às 18:00, na Biblioteca Municipal de Valongo, dando início ao Festival, em modo de pré-evento, e à primeira ação de formação acreditada do Onomatopeia.

“Leitura e Liberdade” com a escritora Raquel Patriarca e “História de Mão em Mão” com a ilustradora Evelina Oliveira são as ações de formação especificamente previstas para professores que se seguirão e que decorrerão no dia 10 de maio à tarde, igualmente na Biblioteca Municipal de Valongo. 

PUB

Seja o primeiro a comentar em "Festival de Literatura Infantojuvenil de Valongo vai celebrar a lusofonia, a liberdade e Matilde Rosa Araújo"

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.