Metro do Porto adjudica projetos para as novas ligações a Gondomar, Maia e Trofa

Créditos: @DR | Metro do Porto

Investimento é de 5,5 milhões para desenvolver as quatro novas ligações.

O conselho de Administração da Metro do Porto adjudicou, a 6 de março, a elaboração dos projetos e dos estudos de impacto ambiental das quatro novas linhas e do metrobus, entre as quais estão as ligações a Gondomar, Maia e Trofa. O investimento agora aprovado supera os 5 milhões de euros.

De acordo com a empresa de transporte público “o valor de adjudicação dos trabalhos para as linhas ISMAI-Muro-Trofa (ISMAI/Paradela) e Maia II (Roberto Frias/Aeroporto) é de €2.821.899,90 para a solução Maia II em modo metroBus ou €3.226.767,55 para o estudo da mesma ligação em modo metro.”

€2.302.453,85 é o valor aprovado e apontado de adjudicação para as linhas Gondomar II (Dragão/Souto) e de São Mamede (IPO/Estádio do Mar).

Quanto a prazos, os programas-base, estudos prévios e estudos de impacto ambiental da linhas ISMAI-Muro-Trofa e Gondomar II “serão apresentados oito meses após a assinatura do contrato com o adjudicatário”. A empresa ainda salientou que “no caso da linha Maia II, que vai ligar a rua de Roberto Frias (no Polo Universitário da Asprela, no Porto) ao Aeroporto Internacional do Porto, na Maia, serão desenvolvidos estudos para dois modos – metroBus e metro”, e só após a receção dos estudos decidirá qual das “opções deverá avançar para a fase de Estudo Prévio e avaliação ambiental”.

Recorde-se que a extensão e construção destas linhas incorporadas no projeto «Metro 3.0» representam um investimento superior a mil milhões de euros “envolvendo a passagem por espaços nevrálgicos da Área Metropolitana do Porto, como Gondomar, São Mamede, Trofa ou Maia”.

Na linha de Gondomar II está prevista a construção de oito novas estações (São Roque, Cerco, Lagarteiro, Lagoa, Valbom, Hospital Fernando Pessoa, Oliveira Martins e Souto) ao longo de 6,9 quilómetros.

Já no que respeita ao traçado ISMAI-Muro-Trofa, a solução é uma combinação de Metro (entre o ISMAI e o Muro) e metroBus (entre o Muro e Paradela, na Trofa). A linha terá 10,22 quilómetros e será servida por sete estações (Ribela, Muro, Serra, Bougado, Pateiras, Trofa Sul e Paradela).

Na segunda linha da Maia, cujo trajeto chega aos 13,01 quilómetros, prevê-se a construção de 16 novas estações (Verdes II, Ponte de Moreira, Espido, Parque Maia II, Chantre, Catassol, Maninhos, Gueifães, Milheirós, Águas Santas, Caverneira, São Gemil, Giesta, Pedrouços, Hospital S. João II e Roberto Frias). Neste caso, se a opção de modo for o metroBus a extensão em quilómetros para 14,3 e o número de estações aumentará para 18.

“O Metro 3.0 dá assim mais um importante passo no sentido da concretização do projeto que, até 2030, vai acrescentar cerca de 40 quilómetros à rede”, concluiu a empresa.

PUB