José Manuel Ribeiro empossado para ultimo mandato, promete combater solidão

Perante centenas de pessoas, um duo de violinistas a animar e num espaço decorado a preceito, a tomada de posse dos eleitos para a Assembleia Municipal e para a Câmara Municipal de Valongo decorreu na segunda feira, dia 18 de outubro. Pela primeira vez esta cerimónia aconteceu em Alfena, freguesia que mudou para o PS em 26 de setembro, numa tenda gigante montada em pleno Parque do Vale do Leça.

Entre os convidados estavam vários autarcas presidentes de Câmara, entre eles Luísa Salgueiro (Matosinhos), Marco Martins (Gondomar), Alexandre Almeida (Paredes), Paulo Pereira (Baião), Silva Tiago (Maia), para além de de outros políticos como Narciso Miranda e responsáveis de hospitais, universidades e outras entidades.

Abílio Vilas Boas, o presidente da Assembleia cessante (e também reeleito) foi o mestre de cerimónias, tendo dado posse aos 27 deputados eleitos e 4 membros por inerência (os 4 presidentes de junta). Serão por isso 18 deputados do PS, 8 do PSD/CDS e um da CDU, BE, Chega, Pan e Nós. Pela primeira vez haverá representação de sete forças politicas diferentes na Assmbleia Municipal de Valongo.

Abílio Vilas Boas manifestou o desejo que o mandato seja profícuo e contribua para o desenvolvimento do concelho de Valongo

Após a tomada de posse dos deputados municipais, foram investidos os nove vereadores, seis do PS e três do PSD. Para além do presidente José Manuel Ribeiro, tomaram posse os eleitos Ana Maria Rodrigues, Ivo Neves, Orlando Rodrigues, Manuela Duarte e Paulo Esteves Ferreira, pelo PS e ainda Miguel Santos, Mário Duarte e Maria João Magalhães pelo PSD.

No seu discurso, o presidente da Câmara, José Manuel Ribeiro, destacou sobretudo o imperativo do mandato que agora começa como de desígnio contra a solidão. Referiu o autarca que “as pessoas estão isoladas, não saem de casa e a pandemia veio aumentar o problema. Temos de fazer mais contra esta situação, temos de investir na cultura, na educação, em atividades para as pessoas saírem da bolha em que estão, saírem de casa e voltarem a conviver, a falar”.

José Manuel Ribeiro prometeu baixar o IMR, até chegar a 0,35% daqui a quatro anos.

O autarca valonguense deixou palavras de elogio para a Proteção Civil Municipal, na tarefa desenvolvida no combate à pandemia.

Os 41 milhões de euros destinados ao Plano Estratégico para a habitação, foram referidos por José Manuel Ribeiro que acrescentou querer chegar ao investimento de 500 milhões de euros captados em 2025, com o objetivo de criar, pelo menos, quatro mil postos de trabalho.

O autarca empossado disse estar concretizado o acordo para aquisição do antigo Cinema de Ermesinde e falou de que está para breve a construção das piscinas ao ar livre de Campo e de Ermesinde.

O edil valonguense afirmou que “a vitoria do PS foi um cartão verde dado pela população de Valongo à nossa governação, que assim foi sufragada com tantos votos como toda a oposição junta. O caminho que seguimos estava certo e vamos continuar a pugnar pelo desenvolvimento do concelho”.

“Vou continuar a ser o mesmo presidente, apresentando uma governação para todos, para quem votou em nós e para quem não votou”, disse José Ribeiro, apelando a que os eleitos da oposição “ajudem” na boa governação.