Miguel Cardoso apresentou candidatura à liderança do PS Valongo

O candidato à concelhia do PS Valongo, Miguel Cardoso, apresentou a sua candidatura no dia 11 de janeiro no auditório da Junta de Freguesia de Valongo.

Perante uma plateia que esgotou o espaço, Miguel Cardoso, diretor do Centro Distrital da Segurança Social do Porto, ouviu Alcina Meireles, professora aposentada e dirigente do Centro Social de Ermesinde, Alfredo Sousa, presidente da Junta de Campo e Sobrado e João Paulo Correia, deputado e presidente da Junta de Mafamude (VN Gaia).

Os oradores teceram elogios a Miguel Cardoso, tendo referido “a coragem” em se candidatar. Alfredo Sousa referiu-se à necessidade de dar voz aos militantes já que, disse, “há uma grande ala do partido que não tem voz”.

João Paulo Correia afirmou que o candidato “não precisava de arriscar e sair da sua zona de conforto para assumir um projeto de futuro”. O deputado à AR disse que Miguel Cardoso “reúne qualidades para ser um grande presidente da concelhia de Valongo do Partido Socialista”.

Já o pretendente à liderança socialista de Valongo, começou por agradecer a presença dos apoiantes e disse que “esta candidatura faz lembrar um desfibrilhador. Todos os militantes têm recebido mais mensagens dos órgãos políticos concelhios e isso já é uma vitória”.

O candidato falou da inexistência de reuniões da comissão política e justificou ainda a sua candidatura em três linhas de ação; ação política, reforço do sucesso autárquico e militância.

A defesa dos autarcas pela estrutura do PS, a necessidade de partido ativo, dinâmico e plural foram ideias defendidas por Miguel Cardoso que disse ser uma realidade que “algumas pessoas têm um problema com a pluralidade”.

Sobre o sucesso autárquico defendeu uma aposta na conquista do poder também na freguesia de Alfena, o que será possível “se o partido começar a trabalhar neste desafio quanto antes”.

Sobre a militância defendeu que deve ser dada voz aos militantes constantemente e não só de dois em dois anos, defendendo a auscultação dos mesmos sobre temas importantes para o concelho de Valongo e para o país. “Sou Cardoso, não sou Carneiro, até no signo sou Capricórnio, por isso não me movo em manada. Nâo tenho um senhor com um cajado para seguir. Temos de aceitar o respeito pela diversidade”, referiu Miguel Cardoso nesta apresentação da sua candidatura às eleições que se realizam dia 1 de fevereiro e em que vai ter na lista oponente Ivo Vale Neves, presidente da Junta de Valongo e atual presidente da concelhia.