Onda de assaltos preocupa comerciantes de Valongo

atualização:

As cidades de Valongo e Ermesinde têm sido alvo de uma onda de assaltos e vandalismo nos últimos dias.

Apesar do sentimento de insegurança, o Comando da PSP diz que o número de situações tem vindo a diminuir no concelho (ver resposta total ao nosso jornal no final do texto).

Questionado pelo JNR, José Manuel Ribeiro, presidente da Câmara de Valongo, refere ser inadmissível este aumento da criminalidade: “A Segurança Pública não é da competência das câmaras municipais. É inadmissível o aumento da criminalidade que se tem registado nas cidades de Valongo e de Ermesinde. Já manifestamos por diversas vezes a nossa preocupação e temos vindo a exigir junto das autoridades competentes (PSP, Polícia Judiciária e Ministério da Administração Interna) esclarecimentos e reforços de meios, para garantir a segurança das nossas populações.”

O certo é que, só numa semana, foram assaltados pelo menos seis cafés em Valongo, onde o alvo dos ladrões foi sobretudo tabaco.
Na madrugada de quarta para quinta-feira (ontem para hoje) foi assaltado mais um café no centro de Valongo, onde o único artigo roubado foi todo o tabaco exposto. A meio da manhã, metade do espaço estava vedado, à espera dos agentes da Polícia Judiciária.
Outros valores foram deixados pelos larápios, o que prova que o alvo era mesmo o tabaco.

Entretanto na última semana um outro estabelecimento, este junto às finanças, foi assaltado duas vezes.
A preocupação é enorme e a contestação aumenta. Os comerciantes queixam-se de falta de segurança e criticam o facto de as esquadras estarem encerradas à noite e do policiamento noturno quase não existir.

Em Ermesinde é de salientar que na noite de terça para quarta foram destruídos, num ato de puro vandalismo, vários enfeites colocados na Aldeia Natal.

O JNR questionou o Comando Metropolitano do Porto sobre a situação. Na resposta enviada à nossa redação é referido que, e citamos, “não existe nenhuma Esquadra encerrada. No que concerne à Esquadra de Valongo, a mesma tem funcionado normalmente, em permanência e com a valência de atendimento ao público. Relativamente à Esquadra de Ermesinde, nas situações em que  não esteja disponível a valência de atendimento ao público (período noturno), não existe nenhum encerramento do espaço, permanecendo sempre meios policiais que, numa situação urgente que requeira intervenção policial, aciona um meio policial suplementar para o local”

Sobre o aumento de assaltos sentido pelos comerciantes e população, a resposta foi esta: ” A PSP assegura ainda que a sua missão de garantir a ordem e tranquilidade públicas, bem como de prevenção e combate à criminalidade, não foi, nem será posta em causa, como decorre da tendência de diminuição generalizada da criminalidade na sua área de intervenção, embora reconheçamos que, atualmente, assegurar a disponibilidade dos meios, é um dos principais desafios que se nos colocam em termos de capacidade operacional.  De referir, contudo, que, no presente ano, se verifica uma redução da criminalidade geral na ordem dos 16% na área da Esquadra de Valongo e de 8 % na área da Esquadra de Ermesinde”.