Câmara e Jornada Principal vão intentar ação popular contra Recivalongo

A Câmara Municipal de Valongo e a Associação Jornada Principal (criada para defender Sobrado das consequências negativas do aterro na freguesia) vão intentar uma ação popular visando a retirada de licença à Recivalongo para resolver o problema dos maus cheiros, proliferação de animais rastejantes e poluição da água, alegadamente causados por aquela empresa.

Esta figura jurídica é regulamentada pela lei n.º 83/95, de 31 de Agosto e pode ler-se no ponto 2 do artigo 1 que “são designadamente interesses protegidos pela presente lei a saúde pública, o ambiente, a qualidade de vida…”.

Quem fez este anúncio foi o presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, na sessão da Assembleia Municipal realizada no sábado, 29 de junho, em Sobrado. Nesta sessão e no período de antes da ordem do dia, um representante da Associação Jornada Principal alertou os vários partidos para esta situação e apelou à revisão do PDM para prevenir a eventual expansão das atuais instalações.

Na assembleia todos os partidos se mostraram solidários com a população de Sobrado, exigindo medidas rápidas das entidades governamentais.