Valongo promove floresta nativa

Desde 2011 que Valongo integra o projeto metropolitano FUTURO, coordenado pelo CRE.Porto, que tem como objetivo envolver a comunidade em ações de promoção da floresta nativa, estando já em intervenção cerca de 30 hectares. O balanço é muito positivo – as atividades de plantação são as que cativam mais o público, mas há atualmente uma maior consciência da importância da manutenção florestal e do controlo de espécies invasoras como as acácias e as háqueas, que têm vindo a envolver um número muito significativo de voluntários e grupos escolares.

O trabalho tem incidido especialmente na Serra de Santa Justa, decorrendo durante todo o ano, embora com maior dinamismo no período de outono-inverno, mais propício à plantação. Resumem-se as principais ações da época 2018/2019, nas quais participaram perto de 760 pessoas:

» em novembro, mais de 100 pessoas participaram em ações de descasque de acácias, integradas no projeto financiado pelo Fundo Ambiental “Charnecas das Serras do Porto – conhecer, capacitar, conservar”. Além de alunos dos Agrupamentos de Campo, Valongo e Vallis Longus, esteve envolvido um grupo Erasmus, com jovens de vários países, e também os próprios colaboradores do município;

» durante o mês de março, dinamizaram-se diversas ações de plantação direcionadas ao público em geral e a grupos escolares, com a colaboração dos Sapadores Florestais, envolvendo 19 turmas dos Agrupamentos de Campo e Valongo e 28 voluntários, incluindo elementos do Centro Hípico de Valongo, Escuteiros e diversas famílias, o que resultou na plantação de perto de 600 árvores nativas, nomeadamente medronheiros;

» ainda em março, a AMO Portugal trouxe a Valongo 27 voluntários, para colaborar no descasque de um núcleo de acácias junto ao Centro de Interpretação Ambiental; » em abril, foi a vez dos colaboradores da Navigator Company ajudarem na manutenção de áreas do município que se encontram em reconversão florestal.

Há ainda a destacar a ação decorrida a 21 de março, no âmbito do Ano Internacional da Tabela Periódica, que envolveu jovens de Valongo, Gondomar e Paredes. O nosso município esteve muito bem representado por cerca de 100 alunos das Escolas de Campo, Valongo e Vallis Longus, que colaboraram na plantação de 118 árvores nativas e no arranque de háquea-picante nas proximidades do Sanatório, em área integrante do Parque das Serras do Porto.

É assim bem visível o dinamismo em torno da promoção da floresta nativa, envolvendo a comunidade e os agentes locais. Será de acrescentar que este trabalho de voluntariado é complementado com a atuação de equipas profissionais: no mesmo período assegurou-se o controlo de plantas invasoras em mais de 9 hectares de novas áreas piloto e a manutenção de cerca de 2,6 hectares de parcelas em processo de reconversão para floresta nativa, assim como a preparação das áreas para plantação, através da abertura das covas. Além de investimento próprio, o Município contou com o apoio do Fundo Ambiental e do projeto FUTURO, sendo ainda de referir que a Lipor também apoia a manutenção regular de várias das parcelas em intervenção.

Na vertente da sensibilização, será de realçar o projeto piloto “A Natureza é a melhor Sala de Aula”, do CRE.Porto, no qual participa a Escola Secundária de Alfena.

Sendo este um trabalho de continuidade, novas intervenções de manutenção e controlo de invasoras estão já agendadas – em maio serão os alunos da Escola Profissional de Valongo e os colaboradores de uma empresa local a participar e no dia 14 de junho dinamizar-se-á uma ação aberta à população em geral. Envolva-se neste projeto – mais informações em www.100milarvores.pt

in Jornal MaisEducação – Valongo

Be the first to comment on "Valongo promove floresta nativa"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.