Para viver o natal

A beleza de um nascimento não cessa de tocar o nosso coração: uma beleza que é esplendor da verdade. Não cessa de nos comover o facto de Deus Se ter feito menino, para que nós pudéssemos amá-Lo, para que ousássemos amá-Lo, e, como menino, Se coloca confiadamente nas nossas mãos. Como se dissesse: Sei que o meu esplendor te assusta, que à vista da minha grandeza procuras impor-te a ti mesmo. Por isso venho a ti como menino, para que Me possas acolher e amar.

É sempre um regresso ao presépio, como o ponto de encontro para todos, um lugar de encontro entre todos e por todos os meios possíveis.

Por isso, propomos que se faça um Presépio familiar, em casa, na pequenina Igreja, à semelhança do Presépio comunitário, que construímos na Igreja. Mas porque o Presépio e a árvore de Natal comovem o coração de todos, até mesmo daqueles que não creem. A ideia dominante desta caminhada é viver o Natal como festa do encontro e anúncio de alegria para todos, na certeza de que “a alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus” (EG 1).

O nosso desafio é criar uma cultura do encontro, que alente cada pessoa e cada grupo a partilhar a riqueza das suas tradições e experiências, a abater muros e a construir pontes. Vão neste sentido as propostas que envolvem, além dos cristãos, todas as pessoas de boa vontade.

Queremos dar à celebração do Natal deste ano, à sua preparação e vivência, esta perspetiva ampla do “encontro”, porque o Natal é, por excelência, a festa do encontro com Jesus, que inspira, mobiliza e motiva tantos outros encontros pessoais, familiares, eclesiais, sociais e culturais.

Somos sempre convidados a olhar para o sim de Maria e a dizermos o nosso sim ao Amor. Ela é para nós, modelo de fé, que consiste em escutar a Palavra de Deus e entregar-se a esta palavra com total disponibilidade de mente e de coração.

Com a Mãe de Deus, todos os anos, o Natal convida-nos a todos crentes e pessoas de boa vontade, a abrir a Deus as portas do mundo, as portas da cidade, as portas das comunidades cristãs e as portas de todas as casas das famílias da paróquia para receberem a alegria do evangelho que o Natal nos traz.

O Mundo precisa de sentir esta alegria, de ouvir esta voz, de abraçar esta esperança e de se deixar iluminar pela luz do nascimento do Filho de Deus.

Vivamos com Amor a nossa Missão de comunicar a alegria do Evangelho e de a partilhar em gestos solidários e fraternos junto dos que mais sofrem.

Participamos e acolhamos o tempo novo que em cada Natal começa na vida do mundo, no ambiente de cada família e no coração de cada pessoa.

Um santo e feliz Natal!

Padre Luis Coutinho – Pároco de Valongo