Morreu Joaquim Leão – Sobradense vencedor da Volta a Portugal em 1964

Morreu Joaquim Leão. Foi esta manhã e a causa deverá ter a ver com problemas cardíacos. Joaquim Leão foi um dos quatro ciclistas de Sobrado que venceu a Volta a Portugal em bicicleta (os outros foram Fernando Moreira, Nuno Ribeiro e Rui Vinhas). Foi em 1964 que o ex-ciclista sobradense venceu a prova rainha em Portugal. No museu do FC Porto está a camisola da vitória  e que Joaquim Leão envergava no dia 30 de agosto, quando terminou a Volta. Joaquim Leão tinha 77 anos.
O funeral realiza-se esta quinta-feira em Sobrado às 16 horas.

 

Recorde aqui um trabalho feito pelo JNR  em 2013 sobre este grande desportista que agora nos deixa

Tudo começou numa prova em Lousada, em 1957, quanto tinha 16 anos numa prova em que participou como popular. Só depois é que o FC do Porto o contratou e foi com a camisola do clube azul e branco que percorreu as estradas do país com inúmeras vitórias durante cerca de uma dezena de anos

Joaquim Leão conseguiu vários títulos, nomeadamente seis de campeão nacional de estrada, uma prova Porto-Lisboa e conquistou prémios, amigos e também dinheiro. Refere ao JNV o antigo ciclista que “cheguei a ganhar cinco contos, o que na altura era muito dinheiro, ganhava mais que um ministro. Recebia de luvas 25 contos por ano”.

No seu café restaurante em pleno centro de Sobrado, o JNV desafiou Joaquim Leão a fazer comparações entre o ciclismo actual e o do seu tempo e o antigo campeão diz logo que “as diferenças são muitas, os clubes grandes tinham equipas de ciclismo, o que levava muita gente à estrada, as estradas eram outras e o material também outro. Agora é tudo mais sofisticado, o ciclismo era feito de outra maneira. A gente tinha de se preparar muito para a corrida, agora é mais fácil.”

Lembra-se também do esquema de treinos, que eram à terça-feira e à quinta no clube. À sexta era dia de massagens, mas à quarta-feira, os atletas furavam o esquema e iam treinar pelas estradas até Vila Real. “O treinador nem sabia, mas nós íamos na mesma”, refere Joaquim Leão, lembrando-se da dificuldade da subida da Serra do Marão.

O ex-cliclista está contente com a criação de uma equipa profissional em Sobrado, que “leve longe o nome de Sobrado e do concelho de Valongo, como aconteceu há pouco com a Volta a Portugal. Só lamento que a equipa não tenha ainda nenhum ciclista da freguesia, mas um dia destes ainda vamos ver um ciclista da terra na nossa equipa. Temos o Nuno, mas não pode correr pela equipa esta época”.

Este sobradense também experimentou a carreira de treinador, no FC do Porto e com passagem ligeira pelo Mota, com alguns atletas com sucesso.

Questionado sobre as lembranças e saudades que tem dos tempos das corridas, o ciclista campeão diz que “a cada passo me lembro das vezes em que as provas passavam por Valongo e não se podia passar no alto da serra com a gente que estava nas bermas. Era uma festa, agora faltam as equipas do Porto, Benfica e Sporting”.

Quando ganhou a Volta a Portugal, Joaquim Leão foi recebido como um herói. “Vim de carro descapotável desde o alto da Serra até Sobrado era só gente na estrada. Em Ermesinde, a minha irmã que era freira, colocou-me uma coroa de flores. Aqui em Sobrado era só gente e foi uma festa tão grande como nunca mais se viu. Tenho mesmo muitas saudades desses momentos”.