Bienal de Escultura em Ardósia apresentada em Valongo

A ardósia, além do sua vertente industrial, apresenta potencialidades plásticas diversas, permitindo a criação de trabalhos artísticos singulares. Consciente das potencialidades desta logomarca territorial, a Câmara Municipal de Valongo vai promover a I Bienal de Escultura da Ardósia de Valongo. O objetivo é gerar um diálogo entre artistas e história local – ardósia, minas e mineiro. Pretende-se dar uma nova roupagem a esta identidade, que resultará do confronto entre arte contemporânea e o património, perscrutando as múltiplas possibilidades associadas a este bem cultural.

Esta iniciativa contará com a parceria da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP) e da Escola Superior de Artes e Design de Matosinhos (ESAD) e com a participação da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto, estando também envolvidas as principais empresas extratoras de ardósia do concelho: a Empresa das Lousas de Valongo e a Pereira Gomes.

A Sessão Pública de Apresentação da I Bienal de Escultura da Ardósia de Valongo 2018 realizar-se-á na próxima sexta-feira, dia 17 de novembro, às 14h30, no Fórum Cultural de Ermesinde. A sessão terá início com a performance recreativa das minas de ardósia (subterrânea e a céu aberto), a cargo da companhia de teatro Cabeças no Ar e Pés na Terra. Seguem-se as intervenções do Presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, e dos representantes da FBAUP, Rui Mendonça, e da ESAD, José Simões.

A I Bienal de Escultura da Ardósia de Valongo 2018 que vai decorrer de janeiro a maio de 2018 inclui residências artísticas, exposições, visitas orientadas, concursos de fotografia e design de produto, entre outras iniciativas. Inserida no programa comemorativo dos 180 Anos do Município de Valongo, a primeira Bienal de Escultura de Ardósia de Valongo terá como Patrono o Mestre Zulmiro de Carvalho, escultor de referência no meio artístico, que foi também um dos responsáveis pela reestruturação do curso de Escultura da FBAUP. A escultura de Zulmiro de Carvalho distinguido com diversos prémios nacionais caracteriza-se pela simplicidade, sobriedade e grandiosidade das estruturas, em ferro, bronze e aço, materiais que combina frequentemente com a ardósia, o mármore e a madeira.