Jerónimo Martins inaugurou instalações em Alfena e promete fábrica de massas frescas.

O presidente do Conselho de Administração da Jerónimo Martins, Pedro Soares dos Santos, anunciou na quarta feira que o grupo a que preside vai construir uma fábrica de massas frescas em Alfena, no concelho de Valongo.
“Iremos aqui abrir a nossa fábrica de massas frescas”, afirmou o presidente do grupo, na inauguração do maior e mais moderno centro logístico da Jerónimo Martins, dona do Pingo Doce, em Alfena, um investimento de 75 milhões de euros, numa cerimónia que contou com a presença do primeiro-ministro e com a leitura de uma mensagem elogiosa do Presidente da Republica, Marcelo Rebelo de Sousa, que teve presença anunciada, mas cancelada devido à tomada de posse do Presidente de Angola.
Por sua vez, António Costa disse que o investimento nesta plataforma logística e na nova unidade fabril “é um sinal de confiança no país”. 

Também o antigo presidente da Jerónimo Martins, Alexandre Soares dos Santos,  presidente da Sociedade Francisco Manuel dos Santos, a maior acionista do grupo que detém o Pingo Doce, afirmou que o grupo se vai expandir dentro “de dois a três anos para outros lugares”, mas garantindo que a família manterá a empresa em Portugal.

Alexandre Soares dos Santos disse em Alfena que “não vamos parar, a minha família não vende, a minha família está em Portugal. Também aqui em Valongo vamos continuar a investir e tendo esta zona a tradição do pão, vamos aqui criar a fábrica de massas frescas para as unidades do grupo do centro e norte”.
Já o presidente da Câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, afirmou: “Vamos receber mais um investimento muito importante para nós, que somos uma terra de padeiros”. O autarca salientou também a relação de confiança com o Grupo Jerónimo Martins. “Continuem a investir no País e no concelho de Valongo que nós agradecemos”, referiu José Manuel Ribeiro, que ofereceu aos administradores da empresa uma regueifa alusiva aos 225 anos do Grupo Jerónimo Martins.

O centro logístico de Alfena tem 450 colaboradores diretos e 300 pessoas externas (segurança, limpeza, motoristas, etc). Conta com 300 fornecedores por dia e abastece 200 lojas Pingo Doce e Recheio, e tem uma área de 100 mil metros quadrados. Além dos armazéns e dos 170 cais de carga, dispõe de uma creche/infantário com capacidade para 80 crianças.
O valor do investimento na fábrica de massas frescas não foi revelado. Esta nova futura unidade, ainda sem data para construção, poderá vir a abastecer cerca de 100 lojas, à semelhança da unidade da Azambuja, que criou 60 empregos.