António Machado – Movimento Partido da Terra

Num mundo de complexidades o Partido da Terra – MPT Valongo e António Machado apresenta-se como candidato à Câmara Municipal de Valongo de forma simples e responsável pois da responsabilidade nasce a simplicidade.
Da responsabilidade nasce a simplicidade e da Responsabilidade social, educacional, ambiental, cultural e económica que sentimos nasceu o programa do Partido da Terra -MPT, simples, claro, objetivo e focado no que é importante, o Povo do nosso Concelho, o nosso Povo de que nós orgulhosamente fazemos parte.
Somos parte deste Povo e por isso defendemos que todos devem ter os mesmos direitos e deveres, como tal a nossa responsabilidade social leva-nos a acreditar que devemos dar a todos igualdade de oportunidades e assim sendo terá que haver uma intervenção muito mais focada e simultaneamente diferente para as questões sociais, mas claro sem nunca esquecer ou substituir as associações sociais, fundamentais, existentes no Concelho às quais agradecemos. Focada nos verdadeiros problemas como é a urgência de reabilitação verdadeira dos bairros sociais. Diferente porque de maior abrangência que os cidadãos dos bairros sociais, outros também necessitam e maior abrangência que a reabilitação habitacional, ou seja, ajudar quem necessita a ganhar ferramentas para melhorar a sua vida e a dos seus.
Somos parte deste Povo sim e por isso olhamos também para a componente educacional e também aqui sentimos que deve haver uma intervenção focada e simultaneamente diferente. Focada na reabilitação do parque escolar que é necessária mas diferente pois é urgente encontrar formas mais económicas aos estudantes no seu percurso académico e urgente um investimento sério no ensino profissional, ensino este visto, erradamente, como inferior e por isso relegado para segundo plano mas que na realidade é de importância vital à sociedade e só com estes dois ensinos a funcionar em pleno conseguimos dar a todos jovens igualdade de tratamento e a realização pessoal.
Somos parte deste Povo sim e por isso temos consciência ambiental. A nossa consciência ambiental agradece tudo o que já foi feito e foi muito, mas também nos aponta outros desafios como a reflorestação, a consciencialização para a reciclagem, a construção de hortas biológicas e consciencialização para a agricultura biológica. A reflorestação é necessária e urgente, necessária para trazer a beleza de outros tempos às nossas matas e urgente para prevenir e evitar os incêndios, pois esta reflorestação pretende-se com plantas de baixa combustão e simultaneamente que sejam plantas que tornem a floresta um espaço agradável. A consciencialização e educação para a reciclagem, pois ela existe mas é necessário que todos percebam como a fazer corretamente e os seus benefícios. Construção de hortas biológicas variadas mas uniformes na sua utilização e consciencialização para a agricultura biológica dos seus benefícios presentes e futuros através de formação continuada, e disponível para todos, pois defendemos a todos os mesmos direitos e deveres.
Somos parte deste Povo e por isso não esquecemos a cultura nem as associações culturais e às quais agradecemos pois também dela nos construímos como povo, construindo a nosso identidade e individualidade. E como não esquecemos a cultura nem os agentes culturais sentimos necessidade de dar uma abordagem diferente à cultura, uma abordagem mais generalista, e mais coordenada e assim mais voltada para a sua função primeira, construir uma identidade e individualidades das gentes deste Concelho.
Mais generalista porque entendemos que a cultura não se resume à cultura desportiva e dentro desta à cultura futebolística, sentimos em primeiro lugar a necessidade de apoiar toda a manifestação cultural de igual forma e sentimos em segundo lugar a necessidade de apoiar de diferentes formas, a nível logístico, a nível de divulgação, a nível de cooperação com entidades externas ao nosso Concelho, pois apoiar é tudo o que se pode fazer para que o agente cultural cresça e ganhe autonomia.
Mais Coordenada pois sentimos a necessidade de que as associações culturais ganhem uma dimensão concelhia sem perder o seu cunho local e assim trabalhem segundo um plano maior que a sua própria agenda local. As Associações culturais existentes no Concelho de Valongo são muitas e diversas e são tantas que permitem que o Concelho tenha um vasto programa cultural, de qualidade e continuo.
Somos parte deste Povo sim e por isso somos pessoas de boas contas porque as boas contas não são só à moda do Porto são também à moda de Valongo.
E porque boas contas não é só dinheiro mas também preservação do meio ambiente, porque a sua preservação representa ganhos futuros, ganhos de qualidade de vida, ganhos de proteção de vida, apresenta-mos desde logo uma mudança de rumo financeiro que é a passagem da autarquia para a Economia Circular e isto significa poupança e proteção do meio ambiente e significa porque Economia Circular é um conceito que assenta na redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia, ao contrário do conceito de fim-de-vida da economia linear e propomos ainda uma Economia Solidária. Mas a relação entre proteção do ambiente e evolução da economia não se fica por aqui é necessário mais e melhor, tendo em conta os nossos recursos naturais que ou se aproveitam de forma sustentada no turismo ou ficam à mercê dos incêndios periódicos pelo aproveitamento sustentado na produção de madeira.
Assim sendo propomos estes dois objetivos, instaurar a Economia Circular e uma aposta clara no Turismo, principalmente o turismo de natureza, de aventura e cultural, mas propomos mais, propomos dentro da linha da Economia Solidária o apoio à criação de Micro empresas e da criação do próprio emprego, pois as micro empresas permanecem cá mesmo que surjam melhores oportunidades em outros locais e propomos ainda um investimento claro em empresas tecnológicas pois elas trazem benefícios imediatos como a criação de emprego direto pela empregabilidade gerada, a criação de emprego indireto em restauração, alojamento e adjudicação de serviços externos e injeção de capital.
Desta forma, com os benefícios que traz a Economia Circular, a Economia Social e o investimento em Turismo e Empresas Tecnológicas permite-se por um lado acabar com o défice que apesar de ter diminuído continua muito alto, pois só pagando as dividas seremos gente de boas contas e permite-se organizar o Concelho de Valongo para que se torne o que queremos, um Concelho que nos deixe apaixonados e permite fazer alguns investimentos estruturais que necessitamos principalmente ao nível da mobilidade urbana pedonal, de bicicletas ou em transportes públicos, mobilidade esta amiga da economia e do ambiente.
Somos um Concelho vivo, apaixonante e vamos torná-lo mais vivo mais apaixonante e acima de tudo dar-lhe condições para no futuro ser o Concelho de referência Nacional ao nível de qualidade de vida e de índice de felicidade pois no fundo é isso que interessa ao nosso povo, ao povo de que nós Partido da Terra fazemos parte.
(Se desejar falar connosco, falar das suas sugestões ou apresentar alguma necessidade telefone ou mande email terá sempre uma resposta 918979891 / mptvalongo@gmail.com)

1 Comment on "António Machado – Movimento Partido da Terra"

  1. Eu conheci o Paulo quando este se mudou para o bairro dos grilos e tornou se meu vizinho,sempre teve uma forma diferente de estar pois falava em assuntos diferentes da nossa idade com objectividade por isso posso dizer que ja entao se preocupava com o ambiente relacoes politicas /sociais. De algo tenho certeza o Paulo e sem duvida de uma integridade e honestidade que nao fica em 2 lugar para ninguem valores deveras raros na polica e nos politicos,por isso vamos la dar uma oportunidade a quem tem um objectivo , dedicado e responsavel.
    Desejo entao boa sorte
    um abraco Paulo Cadavez

Comments are closed.